terça-feira, 7 de abril de 2009

um homem cavalo, na lapa

Não irei falar do personagem vivido por Richard Harris no filme "Um Homem Chamado Cavalo", mas sim de uma pessoa da minha infância, que no começo dos anos 60 habitava as ruas da Lapa e bairros próximos como a Freguesia do Ó e Pirituba. Uma estranha e folclórica figura.
Era o Cavalo, assim gostava de ser chamado.
Carregava uma sela nas costas, ferradura nos sapatos, um rabo (autêntico) de cavalo, preso na parte traseira da calça e também um chicote típico de comandar o animal.
Apesar de ser uma figura exótica, as pessoas se acostumaram com ele. Contava com a simpatia de todos, inclusive de alguns motoristas de ônibus que o deixavam entrar e sair pela porta da frente do coletivo.
Sempre que chamado Cavalo, acenava e seguia em frente. Era uma pessoa dócil e de boa aparência.
As causas da sua loucura, todas elas especulativas, eram diversas: trauma de família, dificuldade em aprender na escola, afinidade com o animal etc.
Nunca soube a sua verdadeira estória, onde morava ou sequer seu nome. Posso adiantar que não era pedinte.
Várias pessoas que viveram naquela época lembram perfeitamente dele.
Quem sabe alguém consegue elucidar ou acrescentar algo desta figura, que, embora seja regional na cidade, marcou com sua presença o imaginário de muita gente.

Fonte: http://www.saopaulominhacidade.com.br/list.asp?ID=1668

Um comentário:

Karina disse...

que legal!estava relembrando com minha esposa e resolvi pesquisar na net.lembro-me dele em francisco morato chorando ao lado do corpo de uma égua depois cortou o rado dela e foi embora eu tinha uns 10 anos.
Nilson